quarta-feira, 17 de abril de 2013

RUY TUBAJARA....BRUXO CIGANO...IDOLATRA LUICFER E AS FORÇAS DA NATUREZA...SUA FORÇA E TRABALHO ESTA NOS CRISTAIS COMO TODO BOM BRUXO...NO BRONZE COMO TODO CIGANO E NA FORÇA DE UM LUCIFERIANO.MAIS UM ADENDO DA CASA ROSA NEGRA.

AUGUSTO HUBEL FILHO DE LUICFER.....ADEPTO CASA ROSA NEGRA...SENHOR DE ALTA MAGIA....FILHO DE OGUN MEGE E YEMANJA...AFILHADO PROTEGIDO DE ASMODEOS E ROSA CAVEIRA....

segunda-feira, 8 de abril de 2013

FILHA DE LUCIFER BRUXA DE HECATE



SOU FILHA DE LUCIFER E SACERDOTIZA DE ALTA MAGIA HA ALGUNS ANOS E SEMPRE ME SURPREENDO COM O DESRESPEITO DE ALGUMAS PESSOAS DIANTE DE NOSSA CRENÇA.A CASA ROSA NEGRA É UMA INSTITUIÇAO SATANICA LUCIFERANISTA QUE BUSCA AUXILIAR NO ENTENDIMENTO DE NOSSA CULTURA.A CASA  FOI FUNDADA EM PORTUGAL NA CIDADE DE AVEIRO E TEM COMO UNICA PRESIDENTE A SACERDOTIZA ACIMA  DESCRITA.....
CONTATOS PELOS EMAILS...sacerdotizahecate@gmail.com       rosacaveiraeasmodeo@gmail.com

domingo, 29 de julho de 2012

PORQUE EXISTE TANTO PRECONCEITO.?


 O  conceito pré-determinado é muito natural do ser humano, é genético, a questão é que pela influência do catolicismo, principalmente na idade média, fez que a magia negra é algo contra a igreja, também a magia foi esteriótipo como algo do demônio(assim julga a igreja), mas não nada a ver o demônio está dentro de nós.
OBS: você sabia que o ato de rezar também é magia?. porque muitas pessoas são ignorantes , elas pensam que magia negra só serve para o mal sendo que elas nem sobre o assunto estudaram , ela pegam qualquer noticia de ritual satanico que acham na interntet e acreditam .

Quer saber ? magia negra pode destruir uma pessoa , até deixa-la loca só que na maioria das vezes ela é usada para o bem , existem varios tipos de magia , se vcs crentes em deus n gostam procurem conhecer sobre magia negra pq segundo alguns deus é contra magia , entao estas pessoas nao podem gostar de magia branca tbm.
o nome nao tem nada a ver com o que vcs pensam. Embora alguns teóricos da magia afirmem que não existe magia "negra" nem magia "branca" - existe apenas a magia, que, como todo poder ou instrumento, pode ser usada para o bem ou para o mal -, uma vez que admitamos a definição de "magia negra", ela significa a magia que é praticada para causar o mal a outras pessoas ou para obter o que se deseja "custe o que custar", sem se importar com as consequências para si ou para os outros. Sendo assim, perguntar o porquê do preconceito contra a magia negra é mais ou menos como perguntar por que existe preconceito contra ladrões ou assassinos: não se trata de preconceito, é apenas o repúdio natural ao que nos pode fazer mal ou de qualquer maneira prejudicar.

sábado, 19 de maio de 2012

POESIA CASA ROSA NEGRA

Os que vêm comigo jamais florescem.
Quem se volta para mim jamais desperta.
Volvem-se à minha alma e erguem-na
sobre um túmulo de obscuridade certa.

Que tremulem sob o manto sombrio da dor
Os descortinados olhos para que me vejam,
pois ali, permanecerei tesa sem perder a cor
Chorando orvalho que de mim gotejam.

Não haverá pé-de-vento que me possa mover,
nem mesmo brisa que me possa arrancar.
Com raízes queimadas e postadas ao sol, ainda assim;
não haverá vida que me tire de lá.

Lá meu negror enriquece-me o dia,
lá não serei eu induzido por nada.
Meu decrépito sorriso provará que a falsidade descerra
As mais embuçadas sentenças, em um conto de fada.

Sobre um altar penitente revestido de impaciência,
em som esganiçado, meu ulo gorjeio.
Alçado pela ingratidão que propaga o egoísmo
Arrematado pela insensatez em meio a um sorteio.

Que meu sentir não seja confundido
com lamentos de dó sem piedade.
Que não seja eu apenas uma rosa negra
após os ecos de torturas e maldades.

Que a minha mente encimada pela escuridão que chega
Não fique exposta sobre lápide de uma rocha rasa.
Que eu seja eu, agora, e para sempre negra;
E que perduradamente viva eu, e minh'alma;
dentro de mim, à sobra de minha casa.
No Brasil, no candomblé, Exu é um dos mais importantes Orixás e sempre é o primeiro a receber as oferendas, as cantigas, as rezas, é saudado antes de todos os Orixás, antes de qualquer cerimônia ou evento. O Exu Orixá não incorpora em ninguém para dar consultas como fazem os Exus de Umbanda, eles são assentados na entrada das casas de candomblé como guardiões, e em toda casa de candomblé tem um quarto para Exu, sempre separado dos outros Orixás, onde ficam todos os assentamentos dos exus da casa e dos filhos de santo que tenham exu assentado.
É astucioso, vaidoso, culto e dono de grande sabedoria, grande conhecedor da natureza humana e dos assuntos mundanos daí a assimilação com o diabo pelos primeiros missionários que, assustados, dele fizeram o símbolo da maldade e do ódio. Porém " … nem completamente mau, nem completamente bom … ", na visão de Pierre Verger no texto de sua autoria "Iniciação" - contido no documentário "Iconografia dos Deuses Africanos no Candomblé da Bahia", Exu reage favoravelmente quando tratado convenientemente, identificado no jogo do merindilogun pelo odu okaran.

Sacrifício para Exu.
Exu recebe diversos nomes, de acordo com a função que exerce ou com suas qualidades: Elegbá ou Elegbará, Bará ou Ibará, Alaketu, Agbô, Odara, Akessan, Lalu, Ijelu (aquele que rege o nascimento e o crescimento de tudo o que existe), Ibarabo, Yangi, Baraketu (guardião das porteiras), Lonan (guardião dos caminhos), Iná (reverenciado na cerimônia do padê).
A segunda-feira é o dia da semana consagrado a Exu. Suas cores são o vermelho e o preto; seu símbolo é o ogó (bastão com cabaças que representa o falo); suas contas e cores são o preto e o vermelho; as oferendas são bodes e galos, pretos de preferência, e aguardente, acompanhado de comidas feitas no azeite de dendê. Aconselha-se nunca lhe oferecer certo tipo de azeite, o Adí, por ser extraído do caroço e não da polpa do dendê e portar a violência e a cólera. Sua saudação é "Larôye!" que significa o bem falante e comunicador.
Consiste o padê em um prato de farofa amarela, acaçá, azeite-de-dendê e um copo de água ou cachaça, que são “arriados” para Exu.
Na nação de angola ou candomblé de Angola Exu recebe o nome de Aluvaiá, pambu Njila, Pambu Njila, e Legbá, no Candomblé Jeje.
Não deve ser confundido com a entidade Exu de Umbanda.pois os exus de umbanda sao entidades de pessoas desencarnadas que por motivos de evoluçao espiritual retornaram a terra para cumprir essa missao junto ao seus seguidores . essas entidades sao confundidas com esu ou exu do candonble devido a proximidade que exu tem com os homens,mas na verdade nao sao considerados orixas como o esu(exu)e sim quiumbas que sao conhecedores das vontades dos homens e mulheres no plano terrestre por teren vivido em epocas diferentes mas com os mesmos problemas desejos e sonhos. No candomble de angola (naçao bantu,congo moxicongo)cultuamos as entidades de exu e pombagiras como ancestrais que por motivos espirituais nos trazem recados,cantigas,avisos,mas totalmente distinto do orixa esu ou ate mesmo de (pambu njila) que e a porçao feminina de esu no angola. por varios nomes podemos reconhecer os quiumbas exus de umbanda,exu tiriri,tranca ruas,exu veludo,exu gira mundo,capa preta,pinga fogo,veludo tata caveira ... a palavra "pombagira" na verdade e um pronuncia "abrasileirada" do lingua bantu africana pombogira Pampu Nijila que por ser uma porçao mais feminina do mesmo exu africano se confindiu com a entidade feminina de exu na umbanda. ex:maria molambo pombogira muito conhecida no nordeste rio de janeiro,por suas graças e gracejos por suas palavras fortes e caracteristica de mulher revolucionaria guerreira tem seus devotos fiesis ,Maria Padilha,conhecida assim como Maria Molambo tambem tem seus seguidores sao as mais conhecidas nos candombles de angola entre outras estao Maria Zureta,Catarina ,Dama da Noite ,Sombra da noite,Sete encruzilhadas,Rosa dos ventos ,Rosa vermelha,Maria Bandida ,Dona Navalha.

QUEM É LUCIFER

Desde a Antiguidade, passando pelos filósofos e desembocando na figura conhecida erroneamente como o "demônio cristão", diversos personagens da mitologia e divindades cultuadas em inúmeras e distantes culturas, possuem alusões a seres, sejam arquétipos ou concretos, que trazem consigo as características conhecidas em Lúcifer. A literatura contemporânea também o aborda amplamente, como as citações ocultistas de Helena Blavatsky e Eliphas Levi, e na obra poética de John Milton, Paradise Lost.
Segundo o mito cristão, Lúcifer era o mais forte e o mais belo de todos os Querubins e conquistou uma posição de destaque entre os demais. Porém, Lúcifer tornou-se orgulhoso de seu poder e revoltou-se contra Deus. O Arcanjo Miguel liderou as hostes divinas na luta contra Lúcifer e os anjos o derrotaram e o expulsaram do Reino do Céu. Mas a idéia de que Lúcifer rebelou-se contra o Criador e foi expulso também está presente em outras culturas, além do Cristianismo.
Por ser o "Portador da Luz", na Roma Antiga, Lúcifer foi associado ao planeta Vênus que, devido sua proximidade com o Sol, pode ser visto ao amanhecer. O anjo também é chamado de "Estrela da Manhã" e "Estrela d’Alva". Na Mitologia Romana era o filho de Astraeus e Aurora, ou de Cephalus e Aurora. Entre os gregos, Lúcifer pode ser associado com Apolo, o "Deus do Sol".
Nos estudos da Demonologia, diferentes autores atribuem a Lúcifer características comuns. No Dictionaire Infernale (1863) e no Grimorium Verum (1517), é o "Rei do Inferno" responsável por assegurar a justiça. No O Grimório do Papa Honório (século XVI ou XVII), Lúcifer também assume a função de "Imperador Infernal". Lúcifer também é cultuado numa variação da Wicca, sendo visto como o Deus do Sol e da Lua dos antigos romanos.

Apesar de popularmente Lúcifer e Satã serem quase sinônimos e esta idéia estender-se ao Satanismo e ao Luciferianismo, há diferenças primordiais entre eles e, por conseqüência, aos sistemas religiosos que os cercam.
Ao longo dos séculos, estes dois personagens também foram representados artisticamente de formas distintas. Por ser um anjo, Lúcifer, é comumente retratado como um homem com asas e, por vezes, empunhando um cajado. Enquanto Satã tem sua imagem associada ao homem com chifres e patas de cabra, muito semelhante ao deus Cornífero (ou Pã), divindade masculina e símbolo de fertilidade cultuada entre os pagãos.
Mas, talvez a maior e mais significativa diferença entre ambos os conceitos, encontra-se na origem das palavras. O termo Lúcifer origina-se no latim e significa "O portador da Luz" (Lux ou Lucis = Luz + Ferre = Carregar). A palavra Satã origina-se no hebraico, Shai'tan, e significa "Adversário"; podendo ser também uma variação do nome da divindade egípcia Set-hen. Dessa forma podemos deduzir que, genericamente, o Luciferianismo busca a Iluminação através de Lúcifer. Enquanto o Satanismo pode caracterizar-se pela oposição, neste caso, ao cristianismo. Assim, os luciferianos consideram que sua filosofia é um "aprimoramento" do Satanismo, apesar de não ser tão conhecido quanto a doutrina promovida por LaVey.
A combinação da imagem de Lúcifer ao "demônio cristão" foi ocasionada por uma interpretação equivocada do livro de Isaías: "Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E, contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo" (Isaías – Cap. XIV – Versículo XII a XV).
Este trecho narra as intenções do rei da Babilônia que almejava tornar-se maior que Deus, mas São Jerônimo, que ao traduzir a Bíblia do grego para o latim no século IV, associou esta passagem com Lúcifer e à serpente tentadora, ou seja, a simbologia do diabo cristão. Anteriormente, Lúcifer não havia essa relação. Tanto que, oficialmente, a Igreja não atribui a Lúcifer o papel de diabo, mas apenas a condição de "anjo caído".